01 agosto, 2015

[Resenha] I'm Sorry, I Love You

Oi gente! Voltei nesse último fim de semana de férias da faculdade e acho que depois de hoje, só daqui um mês ou dois. 

Voltei para resenhar um dorama que acabei de ver nesta madrugada. Prometi a mim mesma que tudo que veria nestas férias era Scholar who Walks the Night, mas quando a última semana chegou e eu tinha concluído todos os afazeres referentes ao TCC, decidi que aproveitaria os derradeiros dias da forma que quisesse. Escolhi um dorama que baixei em 2012, da minha pequena coleção de mais de 20 doramas baixados e não vistos, e fiz uma pequena maratona. Como estou desacostumada a virar noites vendo dorama, coisa que em certo estágio a faculdade tira de nós, e na quinta-feira voltei a trabalhar, demorei quatro dias para ver um dorama de 16 episódios. Claro, nesse meio tempo vi os dois novos que saíram de Scholar essa semana.


Mas vamos para a resenha ~ 

_______________________
Título original: 미안하다, 사랑한다 / Mianhada, Saranghanda
Também conhecido como: Sorry I Love You / I'm Sorry, I Love You / Sorry But I Love You 
Gênero: drama humano, romance, melodrama
Episódios: 16
Emissora: KBS2
Período de exibição: 09 de novembro de 2004 a 28 de dezembro de 2004


ELENCO PRINCIPAL:


So Ji Sub como Cha Moo Hyuk
Im Soo Jung como Song Eun Chae
Jung Kyung Ho como Choi Yune
Seo Ji Young como Kang Min Joo
Choi Yeo Jin como Moon Ji Young

SINOPSE:
Cha Moo Hyuk foi adotado por uma família australiana, mas foi maltratado e abandonado, se tornando um morador de rua ainda criança. Um dia, ele se encontra por acaso com Song Eun Chae, estilista de Choi Yune, um famoso cantor coreano, por quem ela é secretamente apaixonada. seu encontro com Moo Hyuk acaba afetando não só sua vida, mas de seu precioso Yune também.
Devido a um acidente grave envolvendo sua ex-namorada, Moo Hyuk tem pouco tempo de vida. Isso o faz voltar à Coreia em busca de sua mãe biológica. As descobertas que ele faz mudam seu coração e o fazem desejar vingança. Mesmo com toda a escuridão, ele encontra uma inesperada porção de felicidade com alguém que ele não esperava amar. (tradução e adaptação da sinopse do DramaWiki)
Alguns conhecimentos necessários e facilmente deduzíveis:
- a pessoa que Moo Hyuk ama é Eun Chae
- o dorama se trata de um melodrama clássico e trágico, triste a partir do primeiro episódio e só piora até o fim, então só veja se gosta do gênero (eu amo!)
- Eun Chae e Yune competem durante o dorama para ver quem é mais insuportável, mas ao mesmo tempo, eles são adoráveis - um paradoxo comum em doramas
- o final é conhecido/esperado desde o início, mas o que torna a história tão cativante é o miolo dela, como tudo acontece até chegar a esse final
Minhas impressões:
Eu definitivamente amo melodramas e curto uma história dramática e chorosa. Portanto, posso dizer que só por isso eu curti muito! No início da semana, algo me dizia que ia sofrer com os episódios de Scholar, e não estava errada. Sendo assim, nada melhor que um dorama com mais dor e sofrimento ainda para te distrair. É como dizem por aí: se quer esquecer uma dor de cabeça, corte um dedo e sinta uma dor maior. Na verdade, minha estratégia foi bem essa.
Tinha o dorama completinho no meu HD externo, baixado desde 2012 no Asian Team (requer convite para cadastro). Olhei atentamente cada título da minha pasta de "dramas para ver", mas como mal sabia da sinopse deles, escolhi um meio aleatoriamente, pois vi no Wikipédia se tratar de um melodrama. Além disso, queria dar uma chance para o Ji Sub, pois nunca nunquinha tinha visto nada dele e vi o sucesso que ele fez com Master's Sun. Foi uma boa escolha, sem dúvida!
Moo Hyuk, o morador de rua, não era um pedinte, mas um trapaceiro e arrancava dinheiro de turistas inocentes para sobreviver. Ele sabia falar chinês, japonês e coreano, (este último aprendeu com a namorada Ji Young), e usava esses dotes linguísticos para roubar os desavisados. É justamente em um desses golpes que conhece Eun Chae, mas ele decide, por algum motivo, cuidar da jovem e ajudá-la a voltar para seu país de origem, devolvendo a ela o que foi roubado, incluindo dinheiro e passaporte.
Esse encontro acontece antes do acidente citado na sinopse, que muda completamente a vida de Moo Hyuk. Traído pela namorada e sozinho no mundo, decide ele próprio voltar ao país em que nasceu, a Coreia. Em meio a circunstâncias que não convém revelar, ele reencontra Eun Chae, novamente por acaso e acaba se apaixonando, o que vai contra todos os seus planos de vingança contra a mãe biológica que o abandonou. Mas ela era apaixonada por Yune, que por sua vez amava a atriz Kang Min Joo. Isso parece coisa de Carlos Drummond de Andrade. Lembram do pequeno poema "Quadrilha" que aprendemos na escola? 
João amava Teresa que amava Raimundo que amava Maria...
Olhando assim, pode até parecer uma história normal como outra qualquer. Se não fosse o detalhe do tal acidente. E o detalhe... bom, há mil e um detalhes que transformam essa história em tudo, menos "normal". É um verdadeiro drama humano, impactante, triste, real e plausível. Ou seja, não é nada mirabolante, não tem fantasma, raposa de nove caudas, extraterrestre, super cenas enlouquecedoras de beijos ou cenas de ação ou um acontecimento de proporções gigantescas que muda o rumo da história de um país. Não, os acontecimentos simples só mudam a vida dos protagonistas e dos personagens secundários. Sequer tem aquele vilão que podemos odiar durante todo o dorama... aliás, sequer tem um vilão de fato.

Vocês podem me perguntar: esse dorama te agradou totalmente? A resposta só pode ser uma: não. Há uma pequena porção de fatores que impediram esse drama de subir os degraus até atingir o patamar de favoritos. O fato de a prota ser uma sonsa e eu ter morrido de raiva dela em quase todos os episódios é um desses fatores. Mas ao final, gostei bastante dela. Outro fator: Choi Yune. Ele é um mimado filhinho da mamãe, que tem tudo à mão como e quando quer. Só que... para mim, foi impossível não gostar dele. Afinal, como ele mesmo diz, foi "estragado", a mãe o estragou e o ensinou a ser egoísta. Na verdade, ele era um bom garoto e foi um bom garoto até o fim, mesmo quando achava que já não era mais bom.

Song Eun Chae
Choi Yune
 Os outros fatores... bem, eu amo um bom conto de fadas, quando tudo dá certo no final. Esse drama é real, retrata uma situação pouco provável de acontecer, mas esse situação gera situações plenamente razoáveis e na vida, nem sempre tudo dá certo. Só mesmo assistindo para entender. Além do mais, cada um tem seus gostos e valores, talvez o que para mim foi péssimo, para vocês pode ser ótimo e vice-versa.

Agora, sem sombra de dúvida, o que mais me agradou nesse dorama foi conhecer a atuação do Ji Sub. Ele não se tornou um dos meus atores favoritos, ao menos não ainda, já que só vi esse trabalho dele, bem antigo por sinal. Porém, a forma de ele atuar e personificar o Moo Hyuk... não há palavras para descrever. É tão perfeito! 


Cha Moo Hyuk
Duvido muito de que um dia reverei esse drama. Ele mexeu muito comigo, meu coração doeu muito, é muito sofrimento! Contudo, uma coisa é certa: saudades eternas do Moo Hyuk. Personagem muito bem feito, ótimo mesmo! Os abraços que ele dava na Eun Chae, aquele olhar perdido, aquela tristeza profunda...

Conclusões:

Bom, gente, é isso! Super indico o dorama, mas só para quem curte melodramas como eu e não se importa de chorar rios de lágrimas. No começo, achei tão simplista, mas insisti e lá pelas tantas ele me cativou totalmente. Para mim, o primeiro episódio é ótimo, é o melhor! Daí tem alguns episódios, até o sexto talvez, que "empurrei com a barriga". E daí pra frente, me cativou completamente! Sem falar no final, totalmente plausível e coerente, Não digo que concordei ou gostei, mas ele faz todo sentido em termos de ser humano. 

Além do Asian Team, I'm Sorry I Love You pode ser encontrado no Dorama Online e com legendas em inglês no DramaFever.

Ahhhh! Antes de eu concluir, confiram esse vídeo. É Snow Flower, a música que toca em praticamente todos os momentos, uma das mais tristes, melancólicas e lindas que já ouvi! E o vídeo não contém spoiler algum, podem ficar sossegados, eu escolhi um que só mostra um pôster.



My *-*

0 comentários:

Postar um comentário