20 março, 2016

Dica de filme: Forget Me Not



Olá dorameiros!


Faz algum tempo que eu não dou dicas de filmes por aqui, não tenho assistido a muitos filmes orientais, porém, voltei e não foi com pouca coisa não, a dica de hoje é daquelas de te deixar pensativo por algum tempo...

Forget me not é um filme de drama japonês lançado em 2015, como é de se esperar, é baseado em um mangá/novel chamado Wasurenai to Chikatta Boku ga Ita, de Mizuho Hirayama publicado em 2006. Eu não conhecia o mangá, e não vi, não que eu lembre, algo sobre o lançamento deste filme, e fuxicando o fórum do Banzai Dramas, li a sinopse e achei interessante, estava com o filme no HD já há alguns dias, mas só hoje, domingo de tardinha, que eu assisti, e como tudo que eu gosto eu sempre compartilho com vocês, hoje venho falar um pouco deste maravilhoso jmovie.




Sinopse: Takashi Hayami é um estudante do terceiro ano que se apaixona por Azusa Oribe à primeira vista. Eles começam a namorar, e um dia Azusa diz que as pessoas que a conhecem, se esquecem dela algumas horas depois. Takashi a princípio não acredita, mas percebe, por acaso, que era verdade. Para prevenir que isso aconteça a ele, Takashi começa então a deixar notas para si mesmo. ( By Banzai Dramas)


Informações Técnicas: 
  • Filme: Forget Me Not
  • Romaji: Wasurenai to Chikatta Boku ga Ita
  • Japanês: 忘れないと誓ったぼくがいた
  • Diretor: Kei Horie
  • Roteiristas: Mizuho Hirayama (novel), Satoko OkazakiKei Horie
  • Producão: Masahiro Yoshida, Hirohisa Mukuju, Takatoshi Watanabe
  • Cinematografia: Yoko Itakura
  • Estreia: 28 de março 2015
  • Duração: 94 min.
Elenco:

Minha opinião:

Pelo plot, eu já não esperava que Forget me not fosse algo mamão como açúcar, trata-se de um melodrama bem tenso, do início ao fim, até as cenas mais leves, eu sentia uma tensão no ar, não por pouco, pois elas precediam que algo mais dramático estava por vir.

Nosso protagonista em questão, Takashi, é um garoto comum como os outros da sua idade, está no terceiro ano e sua rotina resume-se a estudar, estar com os amigos e a família. Até que um dia, voltando de algum lugar, ele acidentalmente atropela Azusa, uma garota estranha e pouco comunicativa, Takashi pede desculpas pelo acidente, mas ela permanece monossilábica e a princípio, fica por isso mesmo. No dia seguinte, Takashi encontra Azusa na sua escola, e ele percebe que apesar de estudarem em salas bem próximas ele nunca a tinha visto antes.



Depois desses encontros " ao acaso" eles passam a ficar bem próximos e a saírem juntos, não tarda para que eles se tornem um casal. Porém, Takashi não sabe muito sobre Azusa, aliás, ninguém sabe muito sobre ela, apesar de sempre estar por ali. Depois de ser pressionada pelo namorado, ela resolve contar a verdade: Ninguém se lembra dela após algumas horas em que ela esteve presente em um dado local, ninguém, nem mesmo seu pai.


Já aviso que o filme não é centrado em detalhar o porquê de ninguém se lembrar de Azusa, ele é focado no esforço do casal em manter suas lembranças vivas, pois ninguém, nem mesmo Takashi, está livre de ser esquecer das lembranças de sua namorada, e para isto, anota, filma, fotografa, toda e qualquer informação, imagem, que possa manter suas lembranças ativas, mas no fim, nem todo esforço é recompensado.


É uma tortura psicológica para ambos, ele lutando para não esquecê-la e ela para não ser esquecida, Azusa enxerga em Takashi, a única pessoa com quem pode contar no final de tudo, pois ninguém mais já se esforça para lembrar dela. Essa tentativa do casal em manter o romance ativo, gerou uma agonia muito grande em mim, fiquei pensando se algo assim existisse mesmo, e para meu alívio, ficou pelo ou menos o conforto de saber que melodramas japoneses estão por aí para te fazer despertar emoções diferentes, e não exatamente de um modo convencional, fazendo-me lembrar que dá para sofrer até por algo que possivelmente nunca vai existir, eu acho rsrsrs.


Recomendo muito o filme, é um pouco lento, já característico da narrativa de melodramas japoneses, quem já é acostumado com o estilo não terá muitas surpresas, mas mesmo sendo lento, ele prende a atenção, desperta várias emoções, e no meu caso, me fez até me sentir um pouco inútil, eu não saberia o que fazer em uma situação dessas, ainda bem que é tudo bem ficção e surreal. O final, reserva fortes emoções, confesso que ainda não digeri, vejam e tirem suas próprias conclusões.

Nota: 8/10

Onde assistir: Banzai Dramas (necessário cadastro)



Por hoje, vou ficando por aqui, pra semana eu volto! o/







0 comentários:

Postar um comentário