08 agosto, 2016

Doramas x machismo : Full House (2004, Kdrama)

Olá, dorameiras!


Para quem acompanha o blog, eu sou a Paty, amiga da Ana e desde o início do ano tenho assistido a doramas e eventualmente escrevo alguns pequenos textos sobre minha vida agora de dorameira e ela publica aqui.

Desde que assisti ao "Oh, My Venus!", eu descobri que comédia romântica não faz meu estilo nos doramas (vocês podem ler os comentários que fiz inclusive sobre esse dorama clicando na tag "Paty" aqui no blog) até por eu gostar de fazer maratona, os de ação, suspense se encaixam mais comigo.
Porém, eu havia terminado de assistir ao "Bridal Mask", cujo dorama foi o mais longo a que assisti (28 episódios). Conteúdo impecável, mas muita violência, então quis dar uma pausa no estilo e por acaso a Ana havia me falado do "Full House", favoritei e resolvi assistir. Assisti por ver na sinopse que seria mais leve e também porque me interessei pela "parte traseira" do Rain que a Ana me mostrou depois de eu elogiar a do Joo Won...rs Nós, dorameiras, observamos tudo, claro...rs
Dito isso, vamos à observação do Full House. CONTÉM SPOILER!




Sinopse:Estrelado por e , Han Ji Eun é uma roteirista ingênua que vive sozinha até ser enganada pelos seus melhores amigos que dizem que ela ganhou uma viagem All-inclusive para a China. Assim que ela parte, eles vendem todas as suas coisas e pegam o dinheiro para eles. No avião ela conhece Lee Young Jar, um ator figurão coreano. Quando ela percebe que está presa na China sem amigos e sem dinheiro ela é forçada a pedir a ajuda de Lee Young Jar para conseguir uma passagem de volta para casa. Assim que ela volta para a Coreia ela percebe que não tem mais uma casa para morar. Numa estranha reviravolta do destino, ela descobre que sua antiga casa foi comprada pelo homem que ela conheceu no avião, e ele está prestes a pedir a mão da melhor amiga dele Kang Hye Won em casamento. Mas a mídia faz com que pareça que Young Jae tem um relacionamento com Ji Eun. Agora ela pode ter sua casa de volta, se ela prometer se casar com Youn Jae por um ano! O relacionamento profissional deles começa a se tornar pessoal quando Young Jae percebe a si mesmo se importando cada vez mais com a encantadora garota que continua alegre apesar de todas as dificuldades de sua vida. (By DramaFever)

Full House e Lei Maria da Penha. Esse talvez devesse ser o título deste texto porque o que eu vi não foram 16 episódios de uma comédia romântica, mas, sim, 16 episódios de uma extrema violência psicológica de um rapaz para com uma moça. E relacionei à Lei Maria da Penha justamente por estar tão em voga o fato de ela ter completado dez anos. A Lei, conhecida como Maria da Penha, é a 11.340, de 7 de agosto de 2006 .

Jamais imaginei que um dorama que pensei em assistir para dar leveza a minha mente fosse me deixar tão angustiada. A personagem Han Ji Eun foi insultada, humilhada e ridicularizada aos berros pelo Lee Young Jae o tempo inteiro praticamente. De um extremo machismo. A moça depois das ofensas até o chamava de estúpido e idiota. Mas a grande diferença é que ele a humilhava "na alma", na autoestima, dizia que ela nunca ia servir para a profissão de roteirista, trabalho que a moça tinha tanto carinho em fazer, que ela não sabia pensar, que uma pessoa competente não ficaria ali horas no computador, mas faria aquilo rápido, dentre outras ofensas na autoestima.

Até mesmo quando ela só ficava como empregada dele, ainda havia o abuso de quando ele queria que ela ficasse ali com ele, mandava limpar mais de uma vez, dizia que continuava sujo, que ela não tinha capacidade de fazer uma comida decente. Não se trata assim uma empregada.
Quando os xingamentos ultrapassavam todos os limites e a moça se desesperava a chorar, aí ele parava um pouco, fazia uma gracinha, acalmava a situação e, quando parecia que ele havia aprendido a lição, voltavam as ofensas. Aliás, no nosso mundo real, é comum questionar: "Mas por que fulana não denunciou logo o companheiro? E como resposta a de que "achou que ele ia melhorar o comportamento". Mais ainda quando o abuso é emocional, porque chega a um ponto da mulher achar que é ela quem está errando, como houve passagens no dorama de a Ji Eun se achando culpada.
Sem contar a relação de posse. Quando o amigo se interessou por ela, ele tratava de desmarcar os encontros, inventar que a avó estava doente, tudo isso para impedi-la de ver o rapaz. E aí a tratava bem e quando já não tinha mais como remarcar nada, voltava a berrar com a moça.

Um dos momentos mais tensos para mim foi quando a Ji Eun esperou pelo Young Jae a noite toda acordada (porque ele ficou lá com a amiga), ele chegou, ofendeu-a tanto que ela acabou indo para a rua, ficou na chuva, ligou para o Yoo Min Hyuk (por não ter outra pessoa a ligar) e ele a ajudou. A moça adormeceu na sala depois de pegar chuva e de uma noite sem dormir e o Jae bateu na porta do Hyuk e a levou à força para casa e ela disse que era melhor ir. E ele ainda brigou com ela dizendo que não tinha nada que ter adormecido na casa de ninguém e ofendendo com os nomes de cérebro de galinha (sei que não o significado nosso), pássaro, etc.


Ele só a valorizou profissionalmente duas vezes: uma quando deu o gravador de presente de aniversário quando ela foi contratada pelo Hyuk e depois a festinha que ele fez quando foi contratada para fazer o roteiro. Só depois de alguém a valorizar.
Difícil eu conseguir enxergar uma comédia romântica nesse dorama. Sei que é uma gracinha e eu mesma poderia argumentar que era ciúme que ele tinha dela com o amigo, que ele gostava dela, mas não sabia como expressar, por isso a ofendia, ele não sabia ainda que a amava, mas que tudo ia dar certo no último episódio e eles iam ser felizes para sempre...Sim, eles se acertaram nos minutos finais do último episódio, mas felizes para sempre? Ou melhor: sem insultos para sempre? Duvido.
Enfim, dorameiras, não acreditem que xingamentos e insultos são saudáveis e que fazem parte de uma relação: não são saudáveis. Não pense que o rapaz um dia vai te enxergar e é por isso que ele não está te valorizando agora, porque no dorama você viu desse jeito e o final foi feliz. Não aceite. Desavenças entre casais existem sim, mas abuso emocional não pode existir!


Um grande abraço a todos!
Patrícia Matos



E MUITO OBRIGADA MAIS UMA VEZ PELA COLABORAÇÃO PATY!

7 comentários:

  1. A versão thai é mais bonita, ele é pentelho mas um pouco mais sensível. Um drama que indico em que o protagonista masculino difere um pouco desse modelo e a prota feminina também é Whos the one (ou O homem perfeito). Fica a dica :)

    ResponderExcluir
  2. Ja me incomodava algumas situações de machismo nos doramas, apesar de nunca ter seguido ideia feministas, as vezes tem coisa que não da para engolir. Ja tinha ouvido de uma amiga muitos elogios sobre esse dorama, mas nunca me despertou a curiosidade por não gostar muito da atuação do Rain, mas depois desse comentário pretendo coloca-lo na minha lista, mas para avalia-lo ja que sua observação me despertou a vontade de avaliar também

    ResponderExcluir
  3. Olá!

    Dia desses eu vi no grupo de que participo por acaso alguém falando que a versão tailandesa é boa.
    Grata pelo comentário.

    Paty

    ResponderExcluir
  4. Olá!

    Espero que tenha paciência para assistir até o final. Depois comente aqui o que achou quando assistir.

    Abraço
    Paty

    ResponderExcluir
  5. Eu nunca tive vontade de ver esse drama, mas depois do seu comentário me deu vontade de ver e observar isso.
    Eu sou super fã de doramas girls power, sou apaixonada por Marriage not dating, que realmente é um marco das comédias românticas com uma trama leve e garotas absolutamente fantásticas apesar do nome do drama kkkk e claro Doctor Crush é muito bem nesse lado.
    Atualmente doramas onde mulheres são humilhadas e xingadas estão diminuindo, espero que cada vez mais melhore nesse sentido. Que eles sejam cada vez menos machista. Não desista das comédias românticas, dramas que mostram a dura realidade de uma mulher na casa dos trinta na Coréia são "Lie Tô Me" e "Another Ho Hae young".

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lie to me eu achei bem chatinho, tive muita paciência não, acho que não gostei do casal.

      Excluir
  6. Realmente é terrível o machismo, estava tentando ver alguns lakorns, mas eu não aguento quando vejo o homem humilhando a mulher, sendo frio ou a agarrando a força e beijando contra a sua vontade, achando que isso é romântico. Dramas coreanos quando coloca a mulher como a empregada e o homem como o podre de rico, também já fico com um pé atrás. Um que eu gostei foi Strong Woman Do Bong Soo, muito bom.

    ResponderExcluir